sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mistérios do mar


Ir à beira da praia ... cotidiano prazer! Despia-se, estendia o corpo na areia quente e macia e relaxava. Adorava o mar — aquela língua à Rolling Stones tragando-o como um sorvete! E o gesto sensual da lambida o deliciava! Rendia-se plenamente ao gozo enquanto o manto azul, voraz e insaciável, excitado em ondas e tormentas, o engolia. Um dia, não mais voltou. Apenas os vestígios das roupas sobre a areia, que o procurou em vão. Implorou ao sol que a aquecesse: perdera seu doce amante. O sol deu-lhe as costas. O mar, vertendo lágrimas ao notar a tristeza da areia, sorveu-a também. Ai, que lindo triângulo amoroso! Entrega... Maresia... Ressaca... Ou aquela expressão francesa melange... menage... Como é mesmo...? Ah, esqueci!


Por Teresinha Brandão


Olá! Desejamos um bom encerramento da semana! Bjinhos da Jana, Tê e do Augusto!

2 comentários:

Manoel Soares Magalhães disse...

Olá, tdo bem Teresinha. Grato pela visita ao Estreito e pelas palavras de incentivo. Quanto ao seu texto, lindo como sempre. Um abraço meu e de Carmen

Tear de Sentidos disse...

Olá, Manoel! Sê bem-vindo! É um prazer visitar teu site! Está muito lindo!
Voltem _ tu e Carmen _ quando desejarem!
Nossos leitores ficarão contentes assim como nós!
Bj e bj à Carmen!